Arquivo de janeiro, 2015

Felizesparasempre3
Foto: Zé Paulo Cardeal/ Divulgação TV Globo

Já em 1982, o teledramaturgo Euclydes Marinho abordava o desmoronamento das relações afetivas e removia implacavelmente as máscaras que escamoteavam as artificialidades das uniões, fossem elas mantidas por casamento ou não, num pujante contexto narrativo passional. As força, visceralidade e desmistificação do “casal perfeito” foram elementos catalisadores do desenvolvimento da história levada ao ar pela Rede Globo na moralizante época da ditadura militar. “Quem Ama Não Mata” (obra na qual “Felizes Para Sempre?” se baseou) marcou indelevelmente um período de nossa TV e das carreiras de Cláudio Marzo, Marília Pêra, Daniel Dantas, Denise Dumont, Tânia Scher e Paulo Villaça. De lá para cá, houve substanciais mudanças na nossa sociedade e no nosso comportamento, é claro. No entanto, os obstáculos que nos impedem de atingir a plenitude da felicidade nos matrimônios e demais relacionamentos se mantiveram intactos. Portanto, nada mais justificável que a minissérie fosse reeditada para os dias atuais, assumindo os avanços e retrocessos para alguns que surgiram neste intervalo de anos. Com texto renovado do mesmo Euclydes Marinho, agora sob a direção geral de Fernando Meirelles (os outros diretores são Paulo Morelli, Luciano Moura e Rodrigo Meirelles) e a produção da O2 Filmes, “Felizes Para Sempre?” narra a vida de cinco casais (quatro da mesma família), esmiuçando os bastidores de suas existências e consequentes conflitos, passados na capital do poder do Brasil. Alguns personagens passeiam pelos portentosos corredores superficialmente assépticos dos prédios públicos, onde se pode com facilidade sentir o cheiro da corrupção e do poder desmedido. São comemorados os 46 anos de casamento de Dionísio (Perfeito Fortuna), um delegado de polícia aposentado, e Norma (Selma Egrei), uma professora de Sociologia da UnB (Universidade de Brasília). Em sua confortável casa, os filhos e neto se confraternizam num clima de acachapante hipocrisia. Assistem com sorrisos a um patético vídeo familiar de depoimentos. Cláudio (Enrique Diaz), um dos descendentes, advogado e fundador de empreiteira corrupto e inescrupuloso, com negócios escusos com o governo atinente a licitações, é um sujeito arrogante, frio, cínico, adúltero, perigoso e repulsivo. Casado com a restauradora de obras de arte, a fina e sofisticada Marília (Maria Fernanda Cândido). Ambos passaram a ter dificuldades com o sexo desde a morte trágica de seu filho pequeno que se afogou na piscina. Ela teme pelo fim de seu enlace, e procura razões para tal, tentando achar soluções para a questão. Julga que está envelhecendo (mesmo que a sua beleza seja fulgurante). É uma mulher oprimida e desvalorizada por seu cônjuge. Na cama, é tachada cruelmente pelo marido como “travada”. O sexo entre eles é morno, protocolar e frustrante, embora Marília busque encontrar nos lençóis tristes de seu leito um romantismo perdido que para nós parece nunca ter existido. Decide solicitar o auxílio de uma terapeuta de casais (defendida por Bel Kowarick). Expõe suas fraquezas, dúvidas e inseguranças. Enquanto isso, o dinheiro sujo de Cláudio serve para silenciar a inconveniência de sua amante. E seu sogro se constrange com a impotência sexual natural da vida, apoiado por uma tolerante Norma, que sofre o assédio de seu colega de universidade apreciador de mulheres maduras, o professor Guilherme (Antonio Saboia). Otávio se confronta com seu irmão Hugo (João Miguel), engenheiro, casado com uma cirurgiã plástica de sucesso, Tânia (Adriana Esteves), pai do adolescente Junior (Matheus Fagundes), que ingenuamente crê que manifestações coletivas nas ruas podem mudar as conjunturas política, social e econômica da nação. Hugo é um fio de esperança de moralização em meio à chafurdice geral. Deseja ter mais filhos, ao contrário de sua esposa. O outro irmão, Joel (João Baldasserini), filho adotivo de Norma e Dionísio, é mais próximo de Cláudio no que concerne à prática de delitos penais. No mesmo momento em que é corruptor ativo (oferece propina a um agente público para vencer uma licitação), é passivelmente traído por sua companheira Susana (Caroline Abras), uma professora de pilates com quem possui uma relação aberta (até que ponto?). Susana o trai com o seu aluno Buza (Rodrigo dos Santos) por meio de um tablet. Sim, os adultérios se modernizaram. Ainda no que diz respeito a Marília, convence Cláudio a comparecer à terapia de casal. Na sessão, mostra-se indiferente. Com a ajuda da terapeuta, possíveis saídas para salvar o casamento ou pelo menos apimentá-lo são suscitadas. Swing? Ménage à trois? O casal recorre a um site de garotas de programa de luxo, e se interessa pelos olhos de Danny Bond/Denise (Paolla Oliveira), uma universitária pouco modesta, poliglota e que cobra R$4.000,00 a hora pelos seus serviços sexuais. O episódio termina com uma lasciva Paolla Oliveira, encoberta por um visom bordeaux batendo à porta. O diretor Fernando Meirelles impingiu à série seu selo inequívoco de qualidade e excelência. A dinamização das cenas é entremeada por pausas pertinentes para diálogos pessoais e intimistas. A câmera de Meirelles prima pelas concisão e sensibilidade. Cada movimento ou tomada é valorizado com inteligência, e até mesmo os que a princípio não teriam importância, ganham o seu valor, como aquele em que todas as etapas para o preparo de uma vitamina por Joel são registradas. A ideia de se colocar mensagens de texto no vídeo se coadunam com a contemporaneidade das tecnologias e efemeridade e banalização das comunicações interpessoais. A dramaturgia de Euclydes Marinho é afiada, corajosa, despudorada sem excessos e muitíssimo bem estruturada. O ótimo elenco encontrou ampla sintonia com a ambiência proposta pelo entrecho. Não podemos deixar de considerar que a escalação do cast fugiu, que bom, aos padrões convencionais da emissora. Apostaram em um nome prestigiadíssimo do teatro, Enrique Diaz, para ser um dos protagonistas. Assim como o fizeram com atores como Perfeito Fortuna, Caroline Abras e João Baldasserini (todos brilhantes). Esta iniciativa impõe um frescor à trama e provoca uma útil renovação de talentos. Porém, faz-se obrigatório, outrossim, que haja nomes relevantes como Maria Fernanda Cândido, Adriana Esteves, João Miguel, Paolla Oliveira e Selma Egrei. Teremos pela frente Cassia Kis Magro. O time de intérpretes desde já é um acerto total. As direções de arte e musical são caprichadas, os figurinos, elegantes e coerentes com o perfil dos papéis, a abertura fora realizada com esmero e a fotografia é soberana, com filtros suaves e neutros (além de um belíssimo branco utilizado em alguns takes). “Felizes Para Sempre?” não é uma obra que nasceu para não ser percebida ou assumir contornos anódinos. E, sim, o oposto disso. Seu incômodo é tão perturbador quanto redentor. Seremos defrontados com uma realidade crua e desfigurada que está livre dos sonhos. “Felizes Para Sempre?” apimentará a nossa teledramaturgia e nossas convicções. Como público, seremos felizes por dez episódios. E o que é melhor: sem termos que pagar R$4.000,00 a hora.

173
O modelo Marcelo Boldrini, no Fashion Rio Verão 2014/2015, na Marina da Glória.
Marcelo é gaúcho de Porto Alegre, e fora agenciado por conceituadas agências, como a 40º Models, a LOV Mgmt, a L’EQUIPE AGENCE e a New Madison Paris.
A sua carreira se iniciou na capital do Rio Grande do Sul, porém, somente com a mudança para São Paulo, consolidou-se.
Participou de diversas campanhas mundiais e semanas de moda internacionais, inclusive para Valentino, Escada, Tommy Hilfiger, Armani Exchange, Missoni, Oscar de la Renta e Agnès B. (em seu país, para Ellus e Forum).
Um de seus trabalhos mais relevantes foi um editorial para a revista Arena (também esteve nas magazines Vogue Homem e GQ).
Fixou-se em cidades consideradas como polos da moda, como Paris, Nova York e Milão, recebendo invariavelmente convites para atuar em Tóquio.
O fotógrafo peruano Mario Testino sempre admirou o modelo, e o convidou para integrar a série de fotos nas quais os profissionais são vistos apenas envoltos em uma toalha.
Já desfilou para importantíssimas marcas mundiais, como Dolce & Gabbana, Versace, Hugo Boss, Versus, Moschino, Gucci e Calvin Klein.
Elegeram-no como um dos melhores modelos do mundo.
No Brasil, esteve nas passarelas da Colcci.
A fotógrafa Paula Klein o selecionou para ser uma das 32 personalidades de seu livro “Pessoas Me Interessam” (um dos fotografados foi o arquiteto Oscar Niemeyer, e a renda da publicação foi revertida para uma instituição que cuida de crianças).
Fotografou para Ricardo Hegenbart (editorial “Suit Me Up!” para o blog “Le Pillole di Stefano, no site da GQ Itália, vestindo coleções da Hemb e Jonathan Scarpari), Adriano Damas, Gabriel Henrique, dentre outros.

Foto: Paulo Ruch

Agradecimento: TNG
R. Groove

104
O modelo Patrick Pierre no Fashion Rio Verão 2014/2015, na Marina da Glória.
Patrick é natural de Santa Catarina.
Foi o ganhador do concurso KeeMod 2013.
Fez um ensaio, com fotos de Vanessa Deleu e Vivian Pupin, publicado no site “fcastbrazil”.
Na São Paulo Fashion Week, realizada em março do ano passado, o modelo, devido aos seus cabelos longos, chamou a atenção dos jornalistas, e uma matéria a respeito foi publicada no site BOL.
A fotógrafa Raquel Espírito Santo realizou um belo ensaio com Patrick Pierre em que o styling tinha a prevalência do branco, e o modelo explorou todas as possibilidades de seu cabelo, lançando mão de diferentes coques, rabos de cavalo, tranças, ou com as madeixas mais escovadas ou selvagens (o make, branco da mesma forma, serviu para dar um realce em torno de seus olhos, além de suas barba e parte do cabelo preso em coque terem sido pintados da mesma cor em outras imagens).
Junior Franch, fotógrafo, considerou-o, dentre 12 modelos, como uma das principais apostas para o ano de 2014 (as fotos foram publicadas no site “Fast-food(e)”).
Participou de um editorial chamado “Mi Verde”, com fotos de Pan Alves e styling de Murillo Mastf.
Na temporada Verão 2014/2015 do Fashion Rio, desfilou para a TNG e 2nd Floor; já na SPFW (São Paulo Fashion Week), na mesma temporada, exibiu coleções de João Pimenta.

Foto: Paulo Ruch

Agradecimento: TNG
R. Groove

105
A modelo da KeeMod Jamily Wernke Meurer, no Fashion Rio Verão 2014/2015, na Marina da Glória.
Jamily é catarinense (sua cidade natal se chama Braço do Norte), e a entrada no “métier” da moda ocorreu por meio de um concurso (participou do Elite Model Look, mudou-se para São Paulo, e meses depois circulava pelas passarelas das semanas de moda paulista e carioca).
Seu primeiro desfile foi para Ronaldo Fraga na abertura da SPFW (São Paulo Fashion Week), em sua edição Inverno 2013.
As portas para a carreira no exterior se abriram, e foi selecionada para integrar o cast de três das principais agências do mundo: a DNA de Nova York, a OUI de Paris e a Why Not de Milão.
Já desfilou para grifes internacionais como Chanel (teve o privilégio de ter sido escolhida por Karl Lagerfeld para ser a única profissional brasileira a desfilar pela marca em Cingapura; também desfilou no Grand Palais, em Paris), Saint Laurent, Chloé, Miu Miu (de Miuccia Prada), Sonia Rykiel e Rick Owens (em Paris, com exclusividade).
Trabalhou para a Dolce & Gabbana.
Esteve em editoriais das revistas britânicas “LOVE” e “Daze & Confused”.
Fotografou para outras magazines, como “Elle”, “UK” e “i-D”.
Em abril de 2013, numa edição da São Paulo Fashion Week, a modelo desfilou incrivelmente para 16 grifes, sendo já, naquele momento, uma das “new faces” mais requisitadas.
Em Milão, foi modelo exclusiva da marca Alberta Ferreti.
Nas temporadas do Fashion Rio Verão 2014/2015 e São Paulo Fashion Week Verão 2015 e Outono Inverno 2015, desfilou para 31 coleções: no Fashion Rio, representou TNG, Coca-Cola Jeans, 2nd Floor, Espaço Fashion, Maria Filó e Oh Boy!; na SPFW, Jamily mostrou peças de Alexandre Herchcovitch, Ellus, Forum, Giuliana Romanno, Gloria Coelho, Lolitta, Pedro Lourenço Capsule, Reinaldo Lourenço, Ronaldo Fraga, Têca por Helô Rocha, Triton, Tufi Duek e Wagner Kallieno; e na temporada Outono Inverno 2015 de novembro último (segundo o site Fashion Spoiler!, foi uma das modelos que mais se destacaram), para TNG, 2nd Floor, Acquastudio, Alexandre Herchcovitch, Animale, Apartamento 03, Coca-Cola Jeans, Ellus, Fernanda Yamamoto, GIG Couture, Giuliana Romanno, Gloria Coelho, Iódice, Llas, Lolitta, Osklen, PatBo, Pedro Lourenço, Reinaldo Lourenço, Triton, Tufi Duek, UMA Raquel Davidowicz, Victor Dzenk, Vitorino Campos e Wagner Kallieno.

Foto: Paulo Ruch

Agradecimento: TNG
R. Groove

098
O modelo Francisco Gassen no Fashion Rio Verão 2014/2015, na Marina da Glória.
Francisco já desfilou para importantes marcas, tanto nacionais quanto internacionais: esteve nas passarelas da Dolce & Gabbana, Cavalli, Missoni (com 2 anos de exclusividade), Marni, Alexandre Herchcovitch e Reserva.
Fez campanhas para Osklen (fotos de André Passos) e Wölnner.
Foi capa e participou de um editorial (“Wow”), com fotos de Julian Hargreaves, para a revista “THE/END”.
Diego Querzoli o fotografou em Nova York para o site “brazilmalemodels”.
Estrelou a campanha da grife masculina Sued.78 (fotos de Danilo Apoena).
A Stone Bonker o escolheu para estampar as suas peças em seu lookbook.
Fez um editorial (“24 Horas Perfeitas”), registrado pelas lentes de Christian Gaul, para a Playboy Brasil.
Com fotos de Francisco Postiglione, o modelo teve um ensaio publicado no blog “Made in Brazil”.
Na temporada de Verão 2014/2015, no Fashion Rio, desfilou para a TNG e Aüslander; na São Paulo Fashion Week, anteriormente, para a Cavalera.

Foto: Paulo Ruch

Agradecimento: TNG
R. Groove

096
O modelo da Way Model Management Ronaldo Martins, no Fashion Rio Verão 2014/2015, na Marina da Glória.
Ronaldo, nascido em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, é um dos nomes mais atuantes da agência paulista.
Em novembro de 2014, participou de um importante ensaio (com fotos de Franco Amendola e beleza de Flavia Lacerda) da revista GQ Brasil.
No mês seguinte, foi a vez da publicação “Playboy” dedicar um espaço ao profissional na sua seção de moda pelas lentes do fotógrafo Cristiano Madureira.
No Shopping Cidade Jardim (SP) exibiu nas passarelas peças do estilista italiano Giorgio Armani para o inverno 2015.
Foi fotografado por Bruna Castanheira para a matéria “True Love”, veiculada no Jornal do Brasil.
O prestigiado Bob Wolfenson registrou Ronaldo para a ELLE Brasil, em junho do ano passado.
Esteve, junto com demais modelos, inclusive Bruno Ventura (Elian Gallardo) e Lea T. (Way Model Management), na edição comemorativa dos 25 anos da revista supracitada, com fotos também de Wolfenson para o editorial “ELLE, Mostra a Tua Cara”.
Ao lado dos modelos Michele Gassen e Ricardo Dal Moro, mostrou as coleções da loja de departamentos Americanas.
No Fashion Rio, em sua temporada Verão 2014/2015, Ronaldo Martins desfilou para R. Groove, TNG e Aüslander; na São Paulo Fashion Week, um pouco antes, para as marcas Alexandre Herchcovitch Men, Cavalera, Ellus e Triton; e na edição passada da semana de moda paulista, para as grifes Ellus e Cavalera.

Foto: Paulo Ruch

Agradecimento: TNG
R. Groove

189
A cantora e compositora de funk Valesca Popozuda no Fashion Rio Verão 2014/2015, na Marina da Glória.
Valesca é carioca, e além de cantar e compor, também produz.
Por largo tempo, integrou o grupo feminino “Gaiola das Popozudas”.
É considerada uma das representantes do funk da cidade do Rio de Janeiro e responsável pela popularização do gênero no país.
Atingiu as massas com o hit “Beijinho No Ombro” (o clipe, uma superprodução, alcançou o inacreditável número de mais de 42 milhões de visualizações no site YouTube).
O DJ americano Diplo remixou uma de suas músicas.
Mr. Catra fora seu parceiro profissional.
Foi rainha de bateria das escolas de samba Porto da Pedra e Águia de Ouro e musa do Salgueiro.
É a Rainha da maior torcida de um time de futebol do Brasil, a Raça Rubro-Negra do Flamengo, para o qual torce.
Fez parte da 4ª edição do reality show “A Fazenda”, da Rede Record.
Como ela mesma, apareceu em “Furo MTV” (MTV), “Saturday Night Live Brasil” (Rede TV!) e “Amor à Vida” (Rede Globo).
Em novembro de 2014, Valesca Popozuda lançou seu mais novo clipe, “Eu Sou A Diva Que Você Quer Copiar”, dirigido por Fred Ouro Preto (o vídeo repetiu o sucesso de seu primeiro clipe).
Em dezembro deste mesmo ano, a cantora se apresentou junto com Anitta na festa “Chá de Alice”, que ganhou o nome “Chá das Divas”, na Fundição Progresso, no Centro do Rio de Janeiro.
Valesca Popozuda promete para o ano de 2015 o seu primeiro disco.

Foto: Paulo Ruch

Agradecimento: TNG
R. Groove