Arquivo de agosto, 2013

198
Uma das convidadas que, pela sua personalidade no modo de se vestir, chamou a atenção dos fotógrafos presentes ao ponto de lhe solicitarem que posasse para eles, no Fashion Rio Verão 13/14, realizado na Marina da Glória.

Foto: Paulo Ruch

Agradecimento: TNG

???????????????????????????????
Estampa de camisa com um slogan bastante conhecido no Rio de Janeiro, “Rio Eu Amo Eu Cuido”, na feira de moda Babilônia Feira Hype, Jockey Club Brasileiro, Jardim Botânico, RJ.

Foto: Paulo Ruch

Agradecimento: Babilônia Feira Hype

1012660_10151741844754886_185486472_n
Foto: Joana Mendonça e Bernardo Mendonça

No princípio era o Som… circense. Um tão belo quanto desolador camarim de um solitário palhaço. O mesmo vazio que encontramos no espaço sagrado do bufão é aquele encontrado no nosso “picadeiro” chamado vida. Somos todos “palhaços artistas” que riem, sorriem, choram, deploram, pulam, caem e se esvaem. Quantas cambalhotas damos enquanto vivemos? Aplausos e vaias que sofremos? Porém, sobrevivemos. O lindo texto do dramaturgo brasileiro Timochenko Wehbi “Palhaços”, dirigido com precisas emoção e sensibilidade cênicas por Alexandre Bordallo (direção de palco de Helder Bezerra), é protagonizado brilhantemente por Claudio Tovar e Thiago Detofol, e destrincha e esquadrinha a não fácil experiência humana, a nossa jornada insana, a nossa gana vã nos estertores do limite do suportável, na pele maquiada ou lavada do palhaço Careta (Claudio Tovar), o homem José. Seu Careta nos representa, não inventa. A maquiagem que usa em sofrido rosto é semelhante a que usamos em nossos próprios, atrapalhando a respiração dos nossos poros. A tinta inclemente escorre entre os sulcos nossos sinuosos ou retos de cada dia que circundam olhos que veem as vadias vias que somos obrigados a trilhar. Sulcos “cultos”. Abrem-se as cortinas do “palco” de José, e adentra Benvindo (Thiago Detofol). Seja bem-vindo Thiago! Adentra o admirador e fã do indivíduo que calça sapatos com guizos prateados que deixam rastros de música quando pisam. Benvindo é moço ingênuo, sonhador, “feliz”, alguém que parece ter saído de um filme de Capra. Não acredito que “de ilusão também se vive”. Benvindo “compra a sua felicidade” mexendo em pés suados, pouco arejados, e nestes colocando pisantes nem sempre brilhantes. O vendedor de sapatos galga degraus para atingir o que considera o “topo”. Quer a “gerência de sua vivência”. Configura-se um pugilato num ringue abstrato. Um jogo ácido, tortuoso e torturante, cáustico, fascinante em diálogos e embates cortantes, compostos por perguntas e respostas dilacerantes, entremeadas por silêncios gritantes, e vez por outra ouvimos vozes mutantes acompanhadas de olhares eloquentemente penetrantes travados no sacro “tabuleiro” colorido no qual se refugia o doído palhaço. Filosofa-se sobre o que é ser artista. Sua validade e pouca validade. A sua suposta marca da maldade. A saudade do que parte. O coração em disparate. Tudo é compreendido e “traduzido” com ampla visão sabedora do que Timochenko almejava nos dizer, por meio de direção “sensitiva”, sagaz e capaz de Alexandre Bordallo. Alexandre se aprofunda nos substratos da difícil arte de viver. Conduz com delicadeza a grandeza dos intérpretes que a ele se apresentaram. Se existe a excelência na carreira de um ator, Claudio Tovar atingiu a sua. A sua “gerência”. Seu Careta é duro, frágil, chora por dentro e por fora, direto, objetivo e sábio. Só um Claudio sábio o saberia fazer. Thiago Detofol é límpida nascente de talento. Um talento que como rio corre solto, e desemboca em foz de brilho jovem. Os cenários (execução de Andre Salles) e figurinos (execução de Schirley Nascimento) de Claudio Tovar são magníficos na generosidade com a beleza e a pureza dos detalhes. Tanto os primeiros quanto os segundos remetem a um glorioso rococó. Se a história se passa num circo, há que se ter magia. Há magia na penteadeira cujas lâmpadas nos iluminam às escâncaras. O mágico está no baú que guarda os segredos encobertos, no idílico tapete como se mãos de Arthur Bispo do Rosário o tivessem bordado. No cabide, e na ode aos eméritos fazedores da prazerosa gargalhada, como Chico Anysio, Dercy, Chaplin, Chacrinha, Carequinha, Zezé Macedo, Oscarito, Grande Otelo, Arrelia, Torresmo, Pimentinha, Golias. Todos gigantes em terra de gigantes. O que Claudio e Thiago vestem é encantador aos olhos pedintes do encanto. Ultrapassam a qualidade do primor com o seu frescor. Chapéus, cartola que voa de mão a outra, botões, lantejoulas, brilhos e retalhos em concórdia. A paz do bom gosto. A luz do iluminado Aurelio Di Simoni é impositiva no mais alto grau da percepção do poder absoluto do claro, do romantismo da sombra e da meia-luz que seduz, da significância dos pequenos focos luminares como se estivessem dispostos em tropa vencedora no “front”. O trabalho de corpo de Thiago Detofol é um honroso e meticuloso orquestrar de movimentos dizedores, provocadores, oradores, delgados e tênues da matéria física no plano aberto do parlatório da arena que nos acena. A direção musical de Claudio Lins tem por fins o endeusamento à melodia do circo, “a casa de lona”, que remete ao “Grande Circo Chapliniano”, e as trilhas incidentais instigantes, tensas, dignas de “thriller” sob os “acrobatas voadores”. A produção de Thaty Taranto cumpre papel de liderança na esperança de colocar o teatro em “oratório” merecedor. “Palhaços” é peça que nos comove, e remove os nossos “calos”. “Palhaços” nos “calça” com sapatos folgados. Caminhamos com pés livres, felizes, mais aprendizes do que nunca. E voltamos enfim para o nosso “picadeiro”.

??????????
O fotógrafo e modelo da 40° Models Jhonnes Mattos no Fashion Rio Verão 13/14, na Marina da Glória.
Jhonnes se destaca em ambas as áreas nas quais atua.
Como modelo, fez vários editoriais e campanhas, nacional e internacionalmente.
Foi capa de uma prestigiada revista americana e fotografou para a “Vanity Fair”.
Já como fotógrafo, são muitos os ensaios e books que produziu, inclusive para modelos da própria agência de cujo cast faz parte, a 40º Models.

Foto: Paulo Ruch

Agradecimento: TNG
http://www.40grausmodels.com/

191
Os modelos Jorge Alano (Way Model) e Pedro Aboud (40º Models), no Fashion Rio Verão 13/14, na Marina da Glória.
Jorge atualmente vive em Costa Mesa, Califórnia, Estados Unidos.
Fotografou para Joel Bürger.
Na temporada Spring Summer 2015, desfilou para Emporio Armani, na Milano Fashion Week, dividindo as passarelas com Marlon Teixeira.
Na edição passada do Fashion Rio, Verão 2014/2015, desfilou para a TNG e para a R. Groove (e na São Paulo Fashion Week para Lino Villaventura).
Já havia desfilado para Giorgio Armani, na edição Fall/Winter 2014.
Trabalhou para Carlo Pignatelli e Alexandre Herchcovitch.
Já o carioca Pedro Aboud desfilou no Plaza Hotel, em Nova York.
Fotografou para Rodrigo Marconatto e Lucio Luna, dentre outros.
Desfilou exclusivamente para Givenchy, em Paris.
Participou da campanha Opção Verão 2013, “Sonho de Verão”.
Em abril de 2013, participou do desfile da TNG, no Fashion Rio.
No Fashion Rio, em sua edição Verão 2014/2015, desfilou para a Osklen Praia.

Foto: Paulo Ruch

Agradecimento: TNG

0573
A modelo Brenda Antonello da agência 40° Models no Fashion Rio Verão 13/14, Marina da Glória.
Brenda estudou Relações Internacionais na Unilasalle Canoas.
Nasceu em Porto Alegre, RS, e hoje mora no Rio de Janeiro, RJ.

Foto: Paulo Ruch

Agradecimento: Alessa

http://www.40grausmodels.com/

???????????????????????????????
Blusa com a estampa de Marilyn Monroe, na feira de moda alternativa Babilônia Feira Hype, Jockey Club Brasileiro, Jardim Botânico, RJ.

Foto: Paulo Ruch

Agradecimento: Babilônia Feira Hype