“A transição de modelos para a televisão, como a de Rodrigo Hilbert.”

Publicado: 30/03/2012 em Moda, TV

TEMPER~1
 Foto: Divulgação/GNT

Ao fitar as fotos de Cauã Reymond e Mayana Moura não logro escapar de uma questão objeto de celeuma que teve seu início num dia, está no meio, e que provavelmente não obterá o fim: a transição de modelos para a televisão. É vezeiro e não devemos ignorar. No caso de Mayana Moura e Cauã, ambos se destacaram de forma proveitosa em “Passione”, e folhetins posteriores, como é o caso também de Rodrigo Hilbert. E foi o “début” de Mayana em novelas! Há os que caem nas graças do público, e aqueles que esta condição não atingem. Alguns no veículo ficam, e outros têm passagens fugazes. O preconceito tanto por parte dos telespectadores quanto de profissionais de TV pode ser contrariado com a evolução clara dos que se firmaram como intérpretes, independente das formações primeiras, como por exemplo Alinne Moraes e Ana Paula Arósio (que resolveu se afastar do ramo). Citemos certos ex-representantes da “catwalk” que migraram para a telinha (há os que desfilam de modo esporádico): Rodrigo Hilbert (que conquista enorme e unânime sucesso de público e crítica com o programa que se destaca pelas despretensão e espontaneidade – raro de se ver – “Tempero de Família”, no qual coloca em prática e com inconteste habilidade receitas de suas avó e mãe, que está sendo exibido pela GNT), Reynaldo Gianecchini, Betty Lago, Mila Moreira, Ricardo Tozzi, Victor Pecoraro, Vitor Fasano…. Para mim se houver talento não importam suas origens.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s