Blog do Paulo Ruch

Cinema, Moda, Teatro, TV e… algo mais.

164
Foto: Paulo Ruch

As atrizes Juliana Schalch e Olivia Torres, no Fashion Rio Verão 2014/2015, na Marina da Glória.
Juliana Schalch é paulistana.
Formou-se no Curso Técnico Profissional Escola de Atores Nilton Travesso.
Depois de sua experiência na EAD (Escola de Arte Dramática), na USP, em São Paulo, é convidada para participar da Oficina de Atores na Rede Globo, o que acaba lhe rendendo a oportunidade de ganhar uma personagem na novela “Três Irmãs”, de Antonio Calmon, em 2008.
Neste mesmo ano participa de um episódio de “Alice”, série da HBO Brasil dirigida por Karim Aïnouz e Sérgio Machado.
Em seguida, de volta à Globo, é escalada para o folhetim de Walcyr Carrasco “Morde & Assopra”.
Sua primeira minissérie foi uma obra de Euclydes Marinho que abordava os bastidores da política brasileira, “O Brado Retumbante”.
Trabalha novamente na HBO Brasil na série “O Negócio”, em que ocupou a função de uma das protagonistas, com o papel de Luna (a produção criada por Luca Paiva Mello e Rodrigo Castilho teve quatro temporadas).
Apareceu em um dos episódios da série “(Des)encontros”, do Canal Sony.
Retorna à Rede Globo, onde defende Suzane, uma moça homossexual (é namorada de Wanda, Inês Peixoto), na série policial “A Teia”, de Carolina Kotscho e Bráulio Mantovani.
Contribuiu com uma participação no episódio da primeira produção de uma sitcom nacional da Fox Networks Groups Brasil, “Prata da Casa”, com direção de André Pellenz e exibição na Fox Brasil.
Sua atuação seguinte pôde ser conferida em uma série de ação/aventura escrita por Gustavo Lipztein, “Sem Volta”, levada ao ar na RecordTV.
Permanece na Record, e encara o desafio de dar vida a uma personagem bíblica, Temima, esposa de Baltazar, Alexandre Slaviero, em “Jezabel”, novela de Cristianne Fridman.
Juliana, que também é bailarina (dedicou-se à dança por alguns anos, integrando dois grupos), possui passagens pelo cinema, tanto em curtas quanto em longas-metragens (os longas dos quais fez parte são “Tropa de Elite 2 – O Inimigo Agora É Outro”, de José Padilha; “VIPs”, de Toniko Melo; “Os 3”, de Nando Olival; “E Aí… Comeu?”, de Felipe Joffily, “Os Penetras”, de Andrucha Waddington; “Boa Sorte”, de Carolina Jabor; “Depois de Tudo”, de Johnny Araújo; “Vidas Partidas”, de Marcos Schechtman; “Polícia Federal: A Lei é para Todos”, de Marcelo Antunez; “O Último Jogo”, de André Studart; “Eu Sinto Muito”, de Cristiano Vieira; e “Macabro”, de Marcos Prado ).
Nos palcos, as cortinas foram abertas para a atriz nos espetáculos “Puts”, “Lendas e Tribos” e “A Dança dos Signos” (todos da Oficina dos Menestréis), “A Ilha” e “Deus é um DJ”, de Marcelo Rubens Paiva.
Juliana Schalch está no elenco de “Um Lugar ao Sol”, novela de Lícia Manzo que sucederá a “Amor de Mãe”, às 21h na Rede Globo, ainda sem previsão de estreia (Juliana fará a personagem Hannah, a melhor amiga da vilã Bárbara, vivida por Alinne Moraes)
Olivia Torres é paulista de São José do Rio Preto.
Estudou teatro no O Tablado, no Rio de Janeiro, e frequentou cursos ministrados por Camila Amado, Susanna Kruger e Ana Kfouri.
Após participações em produções da Rede Globo, como a novela de Antonio Calmon e Elizabeth Jhin “Começar de Novo”, e a minissérie de Luiz Fernando Carvalho “Hoje é Dia de Maria”, encanta os adolescentes em “Malhação ID” com a personagem Rita.
O sucesso alcançado por Rita a levou para uma outra produção voltada para o público jovem, dirigida por Rosane Svartman, o filme “Desenrola” (Prêmio de Melhor Atriz no Brazilian Film Festival, em Miami).
Retoma a linguagem teledramatúrgica de Elizabeth Jhin em “Amor Eterno Amor”, folhetim veiculado na faixa das 18h.
Em um dos episódios da série “As Canalhas”, do GNT, com direção geral de Vicente Amorim, personificou Verinha.
Foi Candinha Rosado no remake de “Saramandaia” (Ricardo Linhares adaptou a criação de Dias Gomes de 1976 marcada pelo realismo fantástico; Fernanda Montenegro encarnou Candinha em outra fase; dentre as características peculiares do papel estavam as suas visão, comunicação e convivência com galinhas imaginárias).
Teve a sua atuação conferida, como Valentina, uma adolescente problemática, filha dos personagens de Cassia Kis e José de Abreu, no remake de “O Rebu”, de George Moura e Sérgio Goldenberg, que se basearam no clássico homônimo de Bráulio Pedroso, levado às telas na mesma emissora em 1975.
Em 2015 volta a trabalhar com a autora Rosane Svartman, que escreveu junto com Paulo Halm, baseados na peça de Bernard Shaw “Pigmalião”, a telenovela “Totalmente Demais” (na trama, a inteligente estudante de Química Débora é apaixonada pelo seu colega de estágio no laboratório da empresa de cosméticos Bastille Fabinho, Daniel Blanco).
No ano seguinte, houve um spin-off da novela para o canal de streaming Globoplay, “Totalmente Sem Noção Demais”, em que Olivia volta a interpretar Débora.
Na série “Sob Pressão”, em um de seus episódios, incorporou uma moça que era vítima de uma relação abusiva (o abusador, Luis Melo, era o pai de Carolina, Marjorie Estiano).
Na história para as seis da tarde, “Tempo de Amar”, de Alcides Nogueira e Bia Corrêa do Lago (ambos se inspiraram no romance de Rubem Fonseca “Amor e Morte”), compôs a doce e passiva Tereza.
Na seara cinematográfica, além de “Desenrola”, fez parte do cast de “Somos Tão Jovens” (uma versão do diretor Antonio Carlos da Fontoura da juventude do cantor, compositor e vocalista da banda Legião Urbana Renato Russo); “Confissões de Adolescente – O Filme” (uma produção de Daniel Filho, sendo uma natural extensão do grande êxito que a obra homônima nascida nos diários da atriz e escritora Maria Mariana logrou tanto no teatro quanto na TV); “Meus Dois Amores”, de Luiz Henrique Rios; “Aurora”, de José Eduardo Belmonte; e “Meu Álbum de Amores”, de Rafael Gomes.
Olivia também é cantora, e sua voz pôde ser ouvida em “Malhação ID” e nos longas “Desenrola” e “Somos Tão Jovens”.
Nos palcos, foi dirigida por Karen Acioly (“A História da Baratinha”), Beto Brown (“O Jardim do Rei” e “O Rouxinol e o Imperador”), João Fonseca (“Cachorro Quente” e “Bilac Vê Estrelas”), Fernando Philbert (“Além do que os Nossos Olhos Registram”) e Felipe Hirsch (“Lazarus”).
No momento, o público pode ver ou rever a interpretação de Olivia Torres como a estudante de Química Débora na edição especial da novela “Totalmente Demais”, de Rosane Svartman e Paulo Halm, exibida às 19h na Rede Globo.

Agradecimento: R. Groove
TNG

Obs: Post atualizado em 15/08/2020

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: